quarta-feira, 26 de julho de 2017

Rawph - A melancolia vai nos separar, outra vez (2017)





































O que eu acho é onde nós, como consumidores de música, estamos?! . O que nós conseguimos? Por que sentimos essa conexão ao ouvir alguém que não conhecemos, confrontando seus próprios demônios? A resposta é uma coisa obscura que tem algo a ver com contexto, escapismo e crescimento, entre muitas outras coisas, mas é verdade que a maioria de nós ficaria um pouco perdida sem essa conexão.

A música que Rawph faz sempre foi sobre esse link e as áreas cinzentas que o cercam. Ele atua como algum tipo de gateway emocional, a confusão de seu registro de estreia, em particular, de alguma forma forneceu uma claridade surpreendente pela qual poderíamos examinar nossos próprios pensamentos internos.  ‘’A melancolia vai nos separar, outra vez’’, na superfície, é um disco diferente. Um registro muito menos denso, foi sua voz desta vez - um falsete confessional surpreendente, que foi trazido totalmente à tona - que atuou como uma mão para guiar. 

Curitiba sempre foi uma planície emocional com a chegada do outono e do inverno. Há um calor frio sobre as reflexões das sete faixas,   muitas vezes mágicas, e o desconcertante  encontro de lo-fi com emo continua essa tendência. É uma fria rajada de ar e instrumentos varrendo você para as esperanças celestiais e os devaneios dos "dias melhores". E com um tratamento poderosamente silencioso e puxa em todas as cordas do coração.

Se você passou algum tempo, mesmo um segundo, sentindo pena de sua emoção, questionando se suas lágrimas eram inválidas ou a ideia de mostrar qualquer tipo de emoção tornava você  uma pessoa a menos, esse disco foi feito para você.  A melancolia vai nos separar, outra vez acrescenta um pouco de atração ao apelo energético de Rawph. É um pedido para ficar sem vergonha de quem você é, abraçar exatamente quem você é neste segundo e cada momento que segue, e usar cada emoção em sua manga. 

O EP foi lançado pelo selo Banana Records e pelo Lo-Slow Records.  A composição toda foi feita por Rawph, a produção é Lo-Fi feita por Michael Wilseque, tudo feito em casa. A capa por Julia Roos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário